sábado, maio 31, 2003

não lembro se já colocaram isso aqui....

A música brasileira vem silenciosamente renovando o seu perfil. Apesar da rara divulgação pela mídia dos projetos e das experimentações que vêm sendo feitas no país, novos nomes que apostam nos ritmos nacionais começam a se tornar conhecidos dentro do meio musical.

Exemplo dessa nova geração que acredita na música brasileira é Chico Correa, pseudônimo adotado por Esmeraldo Marquez produtor de música eletrônica, DJ e guitarrista. Ele comanda o projeto Chico Correa & Eletronic Band, que atualmente conta com 8 músicos, de formações diversas. O projeto aposta na e-music, com claras referências à música popular brasileira e ao jazz – o nome Chico Correa é uma referência a Chick Correa, pianista de jazz. “É um processo natural para utilizar minhas referências locais, os ritmos, sonoridades, melodias, misturadas com os segmentos da música eletrônica com que me identifico”, disse Chico em entrevista por e-mail ao Cultura In.com.

Chico começou sua trajetória musical aos 17 anos, quando tocava guitarra, pesquisava sons de culturas diversas e freqüentava apresentações de amigos do hip-hop em Aracaju. Após ter se mudado para João Pessoa, onde mora hoje em dia, entrou em contato com projetos de música experimental, e se aprofundou no contato com a cultura nordestina.

O que se seguiu foi um estágio em um estúdio de gravação, a aprovação no curso de música da Universidade Federal da Paraíba e a idéia de criar um grupo de jazz. A idéia acabou não saindo do papel, mas as experimentações já tinham se iniciado, depois de Chico ter comprado uma viola de repente e um computador. “Meu interesse não é específico pela música eletrônica, mas sim pela música e por tudo o que está relacionado a ela: técnicas de gravação, produção, arranjo, composição. Mas foi na música eletrônica que me senti mais à vontade para juntar minhas idéias, experimentar e produzir”, afirmou.

Questionado sobre a expansão da música eletrônica no nordeste, Chico frisou a importância da organização para o crescimento da cena de e-music. “Iniciativas como as do Pragatecno (e todos seus coletivos) vêm consolidando uma cena organizada, realizando intercâmbios, encontros, eventos, divulgando os aspectos da cultura da música eletrônica aos leigos e batalhando por espaços aos Djs das cenas locais. A música eletrônica já tem mais aceitação e público no nordeste pra fazer eventos de maior porte, é só comparar com a cena de alguns anos”, disse.

A única ressalva é quanto ao intercâmbio entre DJs do nordeste e do eixo Rio-São Paulo. Para ele, é muito mais comum que, em se tratando de festas e afins, os “sulistas” se apresentem para os nordestinos, do que o inverso. A inserção nos mercados se torna mais simples pela internet, que facilita a troca de informações e a disponibilização de músicas no formato mp3. “Eu nunca lancei nada meu em cd, foi tudo via web mesmo, aprendi muita coisa e continuo através da internet. É um espaço ilimitado para divulgação, formação de público, opinião e comercialização”, contou.

Projetos para 2003

Este ano, Chico pretende iniciar uma parceria com músicos da Paraíba, Pernambuco e Alagoas, e concretizar uma outra com o grupo paraibano Cabruêra www.cabruera.cjb.net, idéia que já acalenta há algum tempo. Outros planos são a conclusão das gravações do CD da Chico Correa & Eletronic Band e a continuação do trabalho com Gilberto Monte (da banda baiana Tara Code), com quem esteve em Salvador no Loops & Roots, dentro do Conex@o.

“Foi uma ótima experiência a apresentação na Bahia. Já vinha discutindo a possibilidade de trabalhar em parceria com Gilberto Monte desde sua visita a João Pessoa, no início de 2002. No Loops & Roots a proposta era uma apresentação de 15 minutos que acabou passando dos quarenta, com alguns desencontros técnicos que fazem parte desse tipo de proposta, já que a música é montada na hora mesmo.” E ficou a promessa de um retorno a Salvador: “Quando der eu volto!”.

retirado daqui!




...Mas como naun quero deixar vcs assim tão na saudade abaixo segue uma verdadeira pérola descoberta la pelos lados de João Pessoa..eita terrinha boa...
Eh o site do Chico Correa. Para quem naun conheçe o cara vale a penas dar uma olhadinha no site e descubrir que o Brasil naun vive soh de Marky e Patife, que tem gente fazendo drum 'n 'bass/dub aki no Brasil de muito boa qualidade...o cara tem a manhã... A mistura de ritmos brazucas com com os sons do breakbeat, acidjazz, drum'n bass, techno, percussoes indianas, africanas, o que tiver groove num projeto basicamente instrumental com acrescimo de guitarras, sax, baixos (e o que estiver disponível) esse é o objetivo de Chico Correa. A pérola fica com a batida muito louca e legal para tocar fogo em qualquer pista de dança de TERE SAHN COCO N BASS

MAIS DETALHES DEEM UMA OLHADINHA NO SITE DO HOMEM...
retirado do blog perolas aos porcos
Ola Pessoas! blz?
>
> pra quem foi no primeiro dia do APR....
> o que acharam de Chico Correia & Eletronic Band?
>
> []s,
> Emerson - Malungo
eu gostei do Chicocorrea
vi metade do show mas achei muito interessante o trabalho com eletronica e
musica brasileira

Luciano

da lista de discussão do yahoo sobre manguebit.


"Ae mano! o site ficou loco, mas com flozinhas e azuzinho, sei não meio bichal né não. Tá para francisca correa, concorda! ha ha ha...
Mas ae, num era sobre isso que eu queria falar é o seguinte; o nequinho aki tá fazendo algumas coisas no fruit... tá certo q num tô bom ainda mas pelomenos tô treinando se liga só nesta base correndo à 170 bpm`s e diz o q achou certo?
assim ou assim ?????

dj dal"


ATENÇÃO: dia 04/06 Chicocorrea & ElectronicBand toca no Cine Banguê, no Espaço Cultural José Lins do Rego, localizado em João Pessoa. Esse show faz parte do projeto 6 e meia, que acontece toda a quarta-feira e une grandes nomes e revelações da MPB a grupos paraibanos de destaque. O escolhido da vez foi o cantor e compositor Nando Reis. Os shows começam as 6 e meia (óbvious) e o ingresso custa 10 reais ( 5 para estudantes).


quinta-feira, maio 29, 2003

Hj comecei a trabalhar nos remixes junto com O Marcelinho Peixe Boi, tentando puxar mais os subs das músicas...rapaz da pr brincar muito com a digi 002, automação à vontade, fora os plug ins que têm lá!!!
Ficou massa a voz de lala com distorção...hehehehee
só não tô conseguindo dormir direito...fico ouvindo "olê olá", "pode ajudar comigo" etc.
Semana que vem S Thomas grava seu sax de ouro.



dias difíceis...
http://www.thereminworld.com/ericross.asp
http://www.thereminvox.com/directory/49/
Alexandre foi contactado, falta acertar o ensaio esse fim de semana, de repente podia ser nessa sexta, que acham???

surgiu convite pra abrir show de nando reis na quarta, dia 04/06 no projeto 'quarta seis e meia' (acho q o nome é esse!!!). todos já estão sabendo? rola? zitu vai estar viajando, vai se falar com o alexandre ou então com o jam pra saber se eles podem substituí-lo.

sexta-feira, maio 23, 2003

o NOme de uma das musicas: le Meka
heuheuehuehuehuehe
http://www.percubaba.com
Saca o som.
Banda francesa de dub Reggae ou sei la o q.
legal :)
heheheheeh
E amanha agente toca o q?
Jam disse que vinha ver e dar uma canja...
e por falar em canja, to lascado de gripe e minha garganta ta malz tb...
sem cerveja amanha! :/
PO que tedio...
cade todo mundo???

quinta-feira, maio 22, 2003

Hoje provavelmente estaremos no jornal da MTV, que vai exibir flashes do último dia doMADA 2003 . O jornal sempre vai ao ar à partir da meia-noite, e reprisa no dia posterior à partir de meio-dia e meia.
Dia 24(sábado) estaremos tocando no Hi-Fi Club (Largo de São Pedro,Centro Histórico de João Pessoa), na festa L.I.V.E. & Electronic ,que além da nossa presença também contará com os dj's residentes Effe e Astek (ambos de jungle/drum n'bass), e talvez a presença de outras bandas da cena paraibana. O ingresso custará de 3 a 5 R$

quarta-feira, maio 21, 2003

ZR estudio entrou com parceria com A CCEB,
é isso aê Coloral!!!! hhrhrhrhhehehehehe
3hrs por 2´s

terça-feira, maio 20, 2003

pra tocar no real player:
rtsp://real.france-techno.com/speedfonk.net/public/kspiler/02pushing.rm
rtsp://real.france-techno.com/speedfonk.net/public/kspiler/01ironbass.rm
rtsp://real.france-techno.com/speedfonk.net/public/kspiler/05goodmonday.rm
rtsp://real.france-techno.com/speedfonk.net/public/kspiler/04lastimpression.rm
Nosso correspondente de Natal: Nazareno F. está mando infos que saíram nos jornais potiguares, parece que o povo lá gostou.

"...ótima entrevista com o Chico Correa na dnb online ;)
blog do povo da banda Chico Correa & Electronic Band: www.chicocorrea.blogspot.com "

do blog glorybox



"No último dia, sábado, o destaque foi mesmo os paraibanos do Chico Correia & Eletronic Band, com sua música eletrônica de sotaque nordestino. Autoramas (RJ) também fez um bom e possante show. (...)"

do jornal tribuna do norte


domingo, maio 18, 2003

Estamos linkados aqui!
Mada: animação da última noite contagia público

Emídia Felipe
Repóter do DIÁRIO DE NATAL


A última noite do Mada - Festival Música Alimento da Alma - manteve milhares de pessoas no Largo da Rua Chile até às 3h30 desse domingo (18/5), em shows embalados por regionalismo, rock e até funk. A chuva fina e rápida só apareceu no fim na festa, para refrescar o calor causado pela carioca Fernanda Abreu, que agradou com um show muito bem feito. Do lado de dentro, aplausos para a estrutura do festival e para o público - não foram vistas confusões comuns em eventos de grande porte - mas fica a expectativa para essa semana quando a Polícia deve divulgar se houve roubos e assaltos e quantos foram, principalmente no lado de fora. No mais, todas as tribos se encontraram para prestigiar a música, em especial a potiguar, que merece continuar contando com o apoio de seus conterrâneos.

Regionalismo "na veia"

Para quem chegou cedo, na feirinha, logo na entrada, Dona Militana, com seu "canto ancestral", mostrou suas histórias e cantorias - elogiadas pelo Brasil inteiro. No show, a platéia soube aproveitar todo o regionalismo da banda de origem ''potiguacana'' Jaraguá Mulungú. Formada por integrantes do RN e de Arcoverde (PE), a JM tirou aplausos da maioria da platéia, apesar de poucas pessoas - em relação ao número que havia à meia-noite - terem chegado às 21h, quando começou o show.
Chico Correia & Eletronic Band continuou a linha de ritmos nordestinos. Seu trabalho mistura o regional - vocais que fazem referência a personagens da cultura popular do nordeste - a "drum´n bass" e "acid jazz" - picapes e saxofone. A mistura bem feita, com destaque para o som do sax, agradou o público, principalmente quando a batida ficou mais rápida.
Já o forró da pernambucana Chá de Zabumba proporcionou um dos momentos mais inusitados da noite. Uma quadrilha improvisada e um ''trenzinho'' animaram até os que apareceram só para escutar rock. O ritmo nordestino chegou a todos que viam a banda e muita gente dançou, sozinha ou acompanhada, mesmo que fosse o ''dois-pra-lá-dois-pra-cá''.

E o rock?

O trio carioca Autoramas, com guitarra, baixo e bateria chegou para a alegria dos roqueiros. Boa performance no palco e rock no som. Em seguida, também do Rio, Acid X começou seu show. Músicas com toques de "acid jazz", ritmos latinos deram o tom ao pop da banda, que tinha na composição bateria, guitarra, baixo e picapes.
Como era de se esperar, dentre as bandas ''novas'', uma das melhores respostas do público foi para Lan Lan e os Elaines, devido o trabalho já ter espaço na mídia nacional. A turma da percussionista que ficou conhecida por seu trabalho com Cássia Eller foi a sexta banda a subir no palco e trouxe o rock como base.

Romantismo

Especialmente para os casais apaixonados, Frejat fez um show bem romântico, com músicas como "Segredos", "Por você" e "Amor pra recomeçar". Houve as mais "rock", mas "vou apertar mas não vou acender agora" - da música "Malandragem Dá um Tempo, de Bezerra da Silva" - foi um dos refrões repetidos pelo público que mais o agitaram, principalmente quando Frejat o ofereceu ao pessoal do Planet Hemp.

Aplausos para a "garota sangue bom"

Ela confessou o desejo de vir para a cidade do sol desde o seu primeiro disco solo, em 1990. Integrante da antiga "Blitz", a carioca Fernanda Abreu fez um show para ninguém colocar defeito. As músicas e a presença de palco, passando pelas coreografias e pela interatividade com o público, agradaram as milhares de pessoas que, apesar de terem esperado pelo menos 15 minutos para o início do show, permaneceram ligados durante toda a apresentação, cuja duração, infelizmente, não passou de 1h20.
As músicas vieram desde sucessos da carreira como "Rio 40 graus" até "Baile da Pesada" e "Roda que Mexe", do último disco, "Entidade Urbana". Fernanda mostrou toda a sensualidade e "swing" da música brasileira, sem preconceitos. Funk, samba, rock e "outras coisas mais" formaram a trilha sonora que contagiou a todos que estavam no largo, que assistiram e aplaudiram entusiasmados. Até a pitada romântica da moça causou frisson na platéia. O primeiro a subir no palco para o "baile" que a cantora fez foi o estudante de Jornalismo Marcelo Ceccocione, 29, que dançou de rosto colado com Fernanda no palco, onde também subiram mais cinco pessoas, que dançaram com os integrantes da banda carioca.


quinta-feira, maio 15, 2003

Entrevista na Dbonline
http://www.dnbonline.com.br/html/noticia.php?cod_not=393
Mada começa hoje e terá dois grupos da PB

Chico Corrêa e Eletronic Band também irá se apresentar na edição deste ano do Mada – Música Alimento da Alma. Ao lado do Zefirina Bomba, Chico Corrêa forma a brigada paraibana no festival, que ao longo de suas três últimas edições revelou nomes daqui para o mundo do showbusiness, como Flávio C, Pau de Dá em Doido, Cabruêra e Candhum B.

O Mada começa hoje, em Natal (RN), e vai até o próximo sábado. Além dos paraibanos, o festival terá bandas independentes de diversas regiões do País, além dos semi-independentes Pitty, Lan Lan, Autoramas e Acid X e dos headlines O Rappa, que fecha a primeira noite, Detonautas Roque Club e Nação Zumbi, que encerram a noite da sexta-feira, e Frejat e Fernanda Abreu, que se apresentam no sábado.

O Zefirina Bomba, que abre a primeira noite do festival, logo mais, é formada pelo ex-Pau de Dá em Doido Ilsom Barros, o ex-Flávio C Eddy e o baterista Guga, do Perigosos Poetas. O som do trio é descrito pelos fãs como um power pop noise, com guitarras barulhentas e energia visceral.

Já Chico Corrêa se apresenta no sábado, mesmo dia do Acid X, que se apresentou por aqui no ano passado, durante o Fenart, com o nome de Acid Beatles. Em comum, os dois enveredam pela techno-bossa, reunindo elementos de drum 'n' bass e MPB.

COBERTURA
Como de costume, a produção do Mada já confirmou a presença da mídia especializada – estarão lá correspondentes de O Globo, revisa Zero e MTV, entre outros – e de “olheiros” de gravadoras, como Carlos Eduardo Miranda, da Trama.

O Mada acontece novamente no Largo da Rua Chile, no bairro da Ribeira. Além dos dois palcos gigantes, quatro telões e camarotes, haverá Feira Mix (com participação de integrantes do Mercado Capim Fashion de João Pessoa), praça de alimentação, lounge e stands cobertos.

Segundo a produção, os ingressos com desconto estão à venda ao preço de R$ 10 (por dia) nas lojas Ecológicas em Natal e João Pessoa (no Manaíra Shopping). A temporada para todos os dias do evento está sendo vendida ao preço promocional de R$ 25.

Estima-se que 15 mil pessoas passaram pelo festival no ano passado. Detalhes do festival podem ser conferidos no site www.festivalmada.com.br. (AC)

fonte: jpbonline
hein??? la gambiaja vai tocar??? os mano tb??? não, não não, hj rola sala de reboco e chico correa ¥ e-band (sem o nosso baterista, mas com baterista e percussionista emprestados!). Vamos ver no q vai dar! :)

O onipresente Chico Corrêa

Músico paraibano se apresenta no Zine Sesc antes de embarcar para festival potiguar


»JOÃO PESSOA
»ANDRÉ CANANÉA
»editor do jp-zine


Chico Corrêa leva hoje sua Eletronic Band e sua mirabolante techno-bossa regional à Àrea de Lazer do Sesc. É que até o próximo sábado, a sede da associação dos comerciários, situada na rua Desembargador Souto Maior, no Centro de João Pessoa, estará promovendo o Zine Sesc, evento que mistura shows musicais, feira de arte, desfile de roupas e acessórios e mostra de fanzines, vídeos e fotos, entre outros.

O Zine Sesc – similar ao Mostrazine, evento sediado em 97 no próprio Sesc – acontece a partir das 14h e vai até a meia-noite. A entrada é gratuita ao público. De acordo com Guga Grimaldi, um dos organizadores do evento, a idéia do Zine Sesc é reunir diversas vertentes da arte alternativa num só espaço.

Os filmes serão exibidos entre as 14h e as 18h. Já os desfiles acontecem a partir das 18h. Fotos de Edcley e Fabiana Veloso, esta do JORNAL DA PARAÍBA, assim como trabalhos dos artistas plásticos Nai Gomes, Robson, Sidney, Sérgio Mota, Roberta e Kadu estarão expostos em caráter permanente durante a mostra.

Também estarão expostos exemplares dos fanzines de Henrique Magalhães, M. Ribeiro, Carol, Cleiton e Deslomar.

Os shows têm início às 21h. Hoje, além de Chico Corrêa, se apresentam Os Mano (sic) e Lagambiaja. Amanhã será a vez de Lado Z, On The Rocks e Gun Jan. No sábado (e aí as apresentações começam mais cedo, às 20h), as bandas Cronus, Perigosos Poetas, Esquadrão 38 e a banda Plano B.

fonte: jpbonline



quarta-feira, maio 14, 2003

mais uma!!!
rtsp://real.france-techno.com/speedfonk.net/public/cosmik_connection/sizer.rm
Cosmik Connection:
http://www.speedfonk.net/index.php3

rtsp://real.france-techno.com/speedfonk.net/public/cosmik_connection/xpoz_6.rm

Massa: Dub, DB jungle Acid JAzz...
escuta ai cassiano!!!
Meu nome é Marcelo Dolabela, sou pesquisador de rock brasileiro (autor
do
livro "ABZ do Rock Brasileiro", Editora
Estrela do Sul), escrevo semanalmente no jornal "Hoje em Dia", de Belo
Horizonte. Meus principais temas são:
rock e poesia alternativa brasileira.

Gostaria, assim, de receber material de sua banda - release, dados
biográficos, formações anteriores,
discografia, demos, discos, fotografias, clipes, fanzines, flyers,
cartazes, memorabilia, etc. - para divulgar na
coluna e inclui-la em uma nova edição do "ABZ" que lançarei no segundo
semestre deste ano. E cobrirá o período
de 1955 aos dias atuais.

Desde já, recebam o meu abraço.

Marcelo Dolabela


Meu endereço:
Marcelo Dolabela
Rua Grão Mogol, 290 - apt. 104
Carmo-Sion
30310-010 - Belo Horizonte - MG
telefone: (0xx31 3284.4116)
e-mail: mdolabela@brfree.com.br
..

Amigos Blogueiros,

Todos sabem que o blog de vcs são os mais sensacionais de todos, os quais acompanho todos os dias...

Não sei se vcs já sabem, mas eu e a Joana estaremos (já estamos !!) reestruturando a Revista MOOD e temos esse gif que é um selo MOOD de qualidade, para os melhores blogs, aqueles que são recomendados por nós.

O html aí de baixo é este selo (que mando em anexo tb) e, se vcs quiserem, podem colar ele no template dos seus blogs. Quer dizer, façam isso minha gente, para nos ajudar... e a gente pode até fazer uma troca. Me mandem os seus para eu colar no meu (vishows.blogspot.com) e botar na MOOD tb, assim que ela estreiar a nova fase.

Conto com a ajuda de vcs... !!! Unidos venceremos....

Valeu mermo ae.



Abrs e beijos,

Joca.
www.mood.com.br
www.mood.blogger.com.br
baiao/ciranda
sambadub
carcara III
odete
serena serená
afrotech IV

nao rola a bossinha nem o FunkB...
Vou bolar algo mais pra usar amanhã...
Lala me liga qdo puder, vou estar em casa, ainda bem que não fui pro Recife hj...


Vitor acabou de ligar, nao melhorou, alguem ligue pra pablo com urgencia, ela nao tem condicoes da tocar amanha, vamos redefinir o set list sem bateria...
e o jeito???
tomara que melhora pro mada...
O site tá quase pronto, .mas nao posso mostrar ainda, tem que corrigir uns erros...falta pouco.
Dolores ta comum blog agora: http://www.djdolores.blogger.com.br/
Seria legal agente fazer um cronograma ate setembro, pra nao dar choques, ou pra dar tempo de adaptar as coisas, vitor disse que vai fazer uma temporada em fortaleza tocando forro, naza viaja, eu tb, tem datas aparecendo e tem que confirmar logo.
fora isso ainda nao consigo dormir direito...sonhos permeiam meu cerebro todas as noites, preciso de ferias...
NA PARAIBA E EM NATAL OS CARAS MISTURAM FORRÓ COM DRUM’N’BASS, FICA MUITO FODA. É A BRASILIDADE NO SANGUE, LEGAL DEMAIS, COMO, POR EXEMPLO, CHICO CORRÊA E A GALERA DO PEIXE COCO .....

Da entrevista que o dj Fábio Machado deu no site mood.
Estamos precisando de uma animação feita no FLASH. Esta animação é para a nossa próxima edição do Site Sulanca.

Para participar, basta bolar quantas animações quizer, contanto que seja no FLASH,com o tema: MÚSICA ELETRÔNICA PARAIBANA,para o e-mail lau@sulancapb.com.br

Nós selecionaremos a melhor animação para a próxima capa do site, sendo esta, assinada pelo elaborador, que ainda leva o novo cd de Chico Corrêa.

Participe!O nosso site pode ser o seu cartão postal para novos negócios!


do pessoal do site sulancapb

terça-feira, maio 13, 2003

"Eletronic Band

Hoje tem show com a banda "Chico Corrêa & Eletronic Band", banda de João Pessoa que recentemente participou do Abril Pro Rock em Recife e foi aclamada pela Imprensa como uma das melhores bandas a se apresentar no Festival. Se você quer saber mais informações acesse o site: www.chicocorrea.blogspot.com. "

retirado da coluna social (???) do Jornal da Paraíba.


Nao consigo confirmar show dia 24.
Mas falei com o Guitarrista do Bom Sucesso pra tocarem aqui com agente.
So tem que definir datas...
Vitor ainda ta de cama, nao foi gravar ontem...
acho que estou gripado, se for a virose, lascou!!!
na semana que vem agente trabalha musica nova ok?
ja marquei uns periodos com marcelinho...

segunda-feira, maio 12, 2003

Contatos pra VAn, quem quiser ir Pro MADA: Luciana 237 9767.
To acertando estudio pra semana que vem...

PORÃO DO ROCK 2003
Sábado e domingo, dias 5 e 6 de julho, no estacionamento do Mané Garrincha. Atrações a confirmar. Inscrições de bandas abertas até o dia 30 de abril na G4 Produções - SCLN 207 - Bloco A - salas 210/211. Material necessário: 3 cópias de CD, demo ou independente, release e uma foto de divulgação. Informações: 3032-1801 / 3032-1802
Rolou convite pra tocar em Natal, acho que dia 06 de junho(ou será junho???).
Bom agente vê isso qdo chegar lá no Sábado.
Alguma notícia de Vitor Emanuel???

quinta-feira, maio 08, 2003

acho q o problema está entre a cadeira e o monitor.. como de costume, alguma merda aconteceu na hora de postar o link... ele direciona pra lah, mas só pra ficar claro, foi o lançamento do site www.sulancapb.com.br. pronto, falei!


falando em fotos... a noite foi tosca, mas foi divertida!!! :)

fotos do lançamento do # postado por lala : 23:13



Os 4 elementos que participaram da mega-jam-session que foi a apresentação do cc+eb na Companhia do Cave, em Campina Grande. Desculpas pela montagem tosca :)

O chefe com 2 notebooks (apesar de só dar pra ver um nessa foto), Victor na percussão e voz, Eu no baixo e Alexandre na bateria.

Como disse MC Metralha, que inclusive foi participação especial em uma música: "é nóis!".

# postado por naza : 13:13
acho que consegui fazer os links do archive aí do lado voltarem a funcionar... só é estranho que os posts antigos ficam com os templates antigos do blog...
# postado por naza : 12:51
a matéria do Luciano Matos sobre o Abril pro Rock, que já coloquei anteriormente aqui, tá no site da revista bala. Se alguém não viu a matéria ainda, dá uma sacada aqui!
# postado por Nomade Riddim : 00:53

quarta-feira, maio 07, 2003

to convidando sam carne de pescoço pra integrar o blog, afinal ele faiz pairte, apesar da distância que nos separa...
"Ola rapaz,

Como vc tinha pedido, eu ti mando um trechosinho de voz africana.
A lingua é "Sarakaba" do Chad.

Faz o que consegue com isso.

Abraços e até mais em Julho,

Sam"

só nao faço ideia do que ela diz...

# postado por Chico : 17:03
Dia D
c/ Adolpho Vieira.
adolphojr@hotmail.com
Envio de material : caixa postal 5039, Cep 29045-970 , Leitao da silva Vitoria - ES (ate o dia 16.5.)

Mais infos c/ Assessoria de imprensa: CATIVA COMUNICAÇÃO , www.cativanet.com.br, cativa@cativanet.com.br, 27 3237 2012.[]s


# postado por Chico : 16:52
.
# postado por Chico : 16:23
Sobre o Mada:
Passagem de som às 16:00 hrs, sem atrasos.
A diária do hotel é a partir do meio dia, podemos chegar antes pra entrevistas e afins, dar uma descansada no hotel e ir direto pra lá, somos a primeira banda do palco 01, bom que o som já fica montado, evitando stress e aquele clima de pit stop de formula 1. Ontem levei mais de hora pra montar as coisas. Há convite pra tocar em CG em junho. O dono do Bar tb chamou pra fazer outro lance lá depois.
Precisamos ver o lance da Van, alguém pode ir atrás disso tb? nao sendo Roger tur neem gedeao tur, ok?
Tb tem que fazer mais cds, meu gravador da com TPM.
é isso...
se lembrar de algo eu ligo proces.
# postado por Chico : 16:19
Pra quem nao subiu a serra, o show foi bem legal, louco e improvisado...
alexandre acabou participando, duas baterias ao mesmo tempo, guigo do candhum B deu uma canja na guitarra, eu com dois laptops mixando, heuheuehuehu, ainda teve o MC metralha mandando um RAp.
depois conto os detalhes pra vcs, casa legal, fomos bem tratados, sem stress, nem se compara a F. Club.
estamos voltando pra casa agora.
# postado por Chico : 13:38
Melhores de 2002 - Parte 3 - Bandas do ano:
- Orestes Prezza (Campinas – SP);
- Mombojó (Recife – PE);
- MQN (Goiânia – GO);
- Chico Correia (João Pessoa – PB);
- Valv (Belo Horizonte – MG);
- Prot(o) (Brasilia – DF);
- Wandula (Curitiba – PR);
- Garage Fuzz (Santos – SP);
- Irmãos Rocha (Porto Alegre – RS)
- Thee Butchers’ Orchestra (São Paulo – SP)

retirado do blog baby bordeline, da sumida sylvie.
# postado por Nomade Riddim : 00:46
PUTEIRO EM JOÃO PESSOA

O título desse post diz respeito a nossa (minha, loren e dani) viagem pra John People nesse finde que passou.
Sem brincadeira, acho que o show que a gente assistiu era no BAIXO MERETRÍCIO de João Pessoa, porque o que tinha de puteiro não era mole (hehehe).
A gente chegou pra passagem de som da banda CHICO CORREIA E ELETRONIC BAND (muito boa por sinal), que - claro! - era na frente de um puteiro, onde de vez em quando rola show de punk rock com direito a "performance grátis" das putas locais.
Na hora do show, a gente estacionou - claro! - na frente de outro prostíbulo com várias "gatinhas" na porta.
Eu juro que não as tinha visto.
Dani e Lorena que me chamaram atenção.
O pior era que o lugar era bem espalhafatoso e as "gatinhas" idem.
Deve ser porque eu sou uma MENINA DE FAMÍLIA e não estou acostumada a freqüentar esse tipo de lugar de "baixo calão".
Mas voltando ao show...
O som é muito bom. Mistura música eletrônica (predominante) com regional, só acho que a vocalista podia ser um pouquinho mais afinada. Eu só não dancei mais porque tava cansada pra cacete.
E eu como groupie que sou (brincadeirinha), já estava de olho no baixista.
A viagem foi ótema, tirando a chuva, as dormidas no estacionamento do shopping e na praia... Tudo correu superbem.
O carinha que me abrigou na casa dele era mó gente fina, no final já tava tirando onda com o tamanho dele (1,60m, acho) e quase chamo ele (e os amigos) pra virem passar o carnaval lá em casa, mas estou meio em pânico com a quantidade de pessoas que está vindo pra cá. Acho que até eu vou ter que achar um abrigo pra mim.
Vou virar uma sem-cama e sem-teto nesse carnaval. E isso é uma indireta, hein pessoal?!


Aguardem: no Abril pro Rock vai rolar CHICO CORREIA E ELETRONIC BAND, aí vocês vão poder conferir o som da galera.

retirado do blog menina de familia
# postado por Nomade Riddim : 00:40
Junkmail – Quem hoje voce destacaria na musica brasileira (pop ou rock)?

Fernando - Não tenho como não citar alguns nomes locais. Wado, Xique Baratinho, sem contar o novo disco do Sonic Junior que vai dar muito que falar. Um lance tão ou mais revolucionario que o primeiro. Ainda posso falar do Cidadão Instigado, do Grenade, do Cassino, achei o projeto dos Tribalistas fantástico, mas acho que ninguem fala por ranço mesmo. Quero muito ouvir o Chico Correia. Curiosamente a cena gaúcha não me toca tanto. Admiro a intenção, mas não o resultado. No final, você saca que grande lance é redescobrir o que passou. Tem muita coisa música brasileira que precisa ser redescoberta.

Se quiserem ler mais da entrevista...tá aqui
# postado por Nomade Riddim : 00:31

terça-feira, maio 06, 2003

Perspectiva é de 40 mil pessoas em feira da música

Os produtores musicais cearenses Olímpio Rocha e Ivan Ferraro, diretores da Associação dos Produtores de Disco do Ceará (ProDisc) estarão em João Pessoa e em Campina Grande hoje, divulgando a Feira da Música 2003 (Feira Nacional da Indústria Fonográfica, Instrumentos Musicais, Áudio, Som, Iluminação e Discos). O evento acontecerá no período de 31 de julho a 03 de agosto, na cidade de Fortaleza, Ceará. Estão agendadas reuniões com as secretarias de cultura e produtores locais.

Segundo a organização, a Feira pretende promover a integração entre produtores, artistas, empresários e mídias musicais de todo o país, com destaque para as regiões Nordeste e Norte, funcionando também como um grande evento de negócios. A expectativa é que mais de 40 mil pessoas visitem à feira, que traz ainda a II Conferência Internacional da Música, com fóruns sobre a produção musical em todo o mundo. O público visitante poderá assistir a shows, participar de debates e conferências sobre o mercado fonográfico e fechar negócios, além de participar de oficinas, conferências, debates, cursos etc.

Os artistas interessados devem encaminhar o material necessário para análise da comissão organizadora do evento (cópia do CD e material informativo sobre o artista e sobre o disco) até o final de junho para Associação dos Produtores de Disco do Ceará (rua Gilberto Studart, 409 – sala 13, Papicu, Fortaleza-CE, Cep 60190750) site do evento (www.feiramusica.com.br). Fones: (85) 265.1718 ou pelo e-mail: contato @feiramusica.com.br. (AVF)

fonte: correio da paraíba
# postado por lala : 11:45
então, pessoas. já saiu a ordem das bandas a tocar no mada. supostamente seremos a segunda a tocar no dia 17. no site ainda tem uns probleminhas com horário, mas creio q vá ficar assim:

jaraguá mulungu [RN]
chico correa ¥ electronic band [PB]
chá de zabumba [PE]
autoramas [RJ]
acid x [RJ]
lanlan e os elaines [BA]
frejat [RJ]
fernanda abreu [RJ]

essa é a ordem que tem no site, mas colocaram o chá de zabumba no mesmo horário e no mesmo palco q a gente. e aih, vai sair no tapa a coisa, né? heheheh
se permanecer a ordem, tocaremos no palco 1.

# postado por lala : 11:37

sexta-feira, maio 02, 2003



eu, seguindo o exemplo de victor e fazendo propaganda do cd demo da chicocorrea & electronic band.

um é R$ 5 e dois por R$10 !
# postado por naza : 16:13

quinta-feira, maio 01, 2003

Que dia tranquilo hj...
o que agente toca amnha heim??? parece q a passagem de som será 'as 17 hrs...
# postado por Chico : 16:39
Animação (quase) 100% brazuca no Abril Pro Rock

Do Recife, o correspondente José Teles conta tudo sobre a 11º edição do APR, uma das mais bem-sucedidas da história do evento

José Teles (Recife)
14/04/2003
Do mainstream de Nando Reis, ao maracatu de baque solto de Siba (do Mestre Ambrósio) e o Fuloresta do Samba, até o punk rock escrachado do germânico Terrorgruppe, a décima-primeira edição do Abril Pro Rock (encerrada na madrugada da segunda,14) abrigou todas as tribos e sonoridades. E mais: driblando a fuga de alguns patrocinadores de peso (caso da Companhia Hidrelétrica do Rio São Francisco, CHESF) e a alta do dólar (que impossibilitou a vinda de grandes nomes gringos), o APR teve uma de suas mais bem-sucedidas edições, com média de oito mil pessoas por noite.

Alternativo, ma non troppo, o APR iniciou a primeira noite com o grupo paraibano Chico Correa, que mistura tecnologia de ponta com ritmos nordestinos, enquanto O Rappa fez o último show. Entre um e outro, o público que lotou o Pavilhão do Centro de Convenções de Pernambuco (em Olinda), teve os beats e grooves do DJ Dolores y Orchestra Santa Massa, o funk carioca do Stereo Maracanã, o som coletivo do Instituto, e o maracatu de 16 toneladas do Nação Zumbi.

Jogando em casa, o DJ Dolores Y Orchestra Santa Massa e o Nação Zumbi fizeram os mais irretocáveis shows da noite. O primeiro (liderado pelo sergipano/pernambucano Hélder Aragão) processa uma inovadora experiência sonora, um amálgama de drum'n'bass e ritmos pernambucanos, MCs, poema de Ascenso Ferreira e uma vocalista de timbre raro (Isaar França, onde estão os caras das gravadoras que ainda não atentaram para a moça?). O Nação Zumbi é atualmente uma das presenças mais fortes de palco do país. Totalmente livres da sombra de Chico Science, o grupo entrou para matar. De Meu Maracatu Pesa uma Tonelada (do CD novo, Nação Zumbi ), à já clássica Manguetown (com participação de Fred 04, da Mundo Livre S.A), a banda não deixou muitas pausas para a platéia respirar.

O Stereo Maracanã mostrou ao vivo o que não transparece em seu CD de estréia , carnavalizando o funk com sotaque carioquíssimo. O contrário aconteceu com a turma do Instituto, que funciona melhor em disco . Rica Amabis & cia somente conseguiram cativar a platéia desatenta quando se uniram a eles, o Bonsucesso Samba Clube e, mais uma vez, Fred 04. A galera estava a fim mesmo de ver O Rappa. E recebeu o que queria: um show redondo, com direito a todos os hits amealhados em uma década de carreira.

Tradicionalmente reservado à turma do metal pesado, o sábado teve como estrela da noite o Shaman, a dissidência do Angra que trouxe sangue novo ao heavy metal tupiniquim. O quinteto mostrou em duas horas, que pode tornar-se mais uma banda de metal nacional com trânsito livre no exterior. Antes deles, a platéia pogou e bateu cabeça com o peso dos pernambucanos Infested Blood, do Hanagorik (que engatou carreira internacional a partir da pequena Surubim, no agreste do Estado), Porão GB, o punk rock da boa e (ainda) não descoberta banda baiana Nancyta e os Grazzers, que agradou com canções próprias e covers do Kiss (Detroit Rock City) e AC/DC (Jailbreak), Dead Fish (que inflamou o público com diatribes anti-Bush), e o Terrorgruppe, responsável pela mais bizarra apresentação do APR 2003.

O vocalista Archi MC Motherfucker incendiou a apresentação da banda. Largando o microfone, abaixando as calças, ele enfiou um buscapé aceso no traseiro (por coincidência, Guilherme Arantes, autor dos versos "Pega carona numa cauda de cometa", apresentava-se na mesma hora no teatro Guararapes, na parte superior do Centro de Convenções).

O Ira! encerrou o APR2003, com um show pleno de adrenalina, no qual repassou toda a carreira da banda. Próximo ao final, Fred 04 adentrou o palco. Ele e Nasi terçaram vozes em três canções do Clash, uma delas a versão de Train in Vain. Poucos se deram conta que 04, um dos criadores do manguebeat, retribuía um favor. No final dos anos 80, O grupo paulista, já famoso, foi até um boteco em Olinda, chamado Oásis, e tocou, na base da brodagem, com três grupos poucos conhecidos até mesmo no Grande Recife, Lamento Negro, Mundo Livre S.A e Loustal, cujo vocalista era um tal de Chico Science. Essa foi a manifestação pioneira do que viria a ser o manguebeat.

Azabumba, Maciel Salu e o Terno de Terreiro, e Siba e a Fuloresta do Samba também seguiram uma tradição que acontece desde a primeira edição do festival, a de não criar barreiras entre o mais puro rock and roll e a mais pura música popular. Enquanto Azabumba ainda faz concessões a instrumentos plugados, Maciel Salu (filho do rabequeiro Mestre Salustiano), e Siba e a Fuloresta do Samba vão de ortodoxos maracatu de orquestra (ou de baque solto), ciranda ou cavalo-marinho. E agradaram em cheio a uma platéia que cresceu escutando esta saudosa promiscuidade de gêneros e ritmos.

Na vitrine do palco 2, os gaúchos do Cachorro Grande, a baiana Pitty, e o pernambucano (radicado em São Paulo), Junior Barreto, expuseram-se com sons diferentes. O Cachorro Grande fica entre a atitude dos Strokes e levadas do the Who; Pitty faz rock básico, mezzo punk, mezzo pop. Júnior Barreto veio de drum'n'bossa. Os três foram observados atentamente pelo produtor Carlos Eduardo Miranda, um freqüentador do APR desde 1993, que transitava pelo pavilhão com os bolsos carregados de demos.

Nando Reis tocou para a torcida. Cantou todos os hits que incensaram carreiras como a de Cássia Eller, Cidade Negra e Titãs. Com uma banda azeitada e tarimba de palco, ele fez o show mais animado da noite, com a platéia cantando junto praticamente todo o repertório que desfiou em moto continuo.

O Los Hermanos havia prometido antecipar no APR Ventura, seu novo disco (que chega às lojas em maio), mas só mostrou uma trinca de canções. A base do repertório foi de O Bloco do Eu Sozinho, com algumas coisas do disco de estréia. Mais cool do que nunca, a banda não faz concessões, portanto, a badalada Anna Júlia (gravada até por Jim Capaldi com direito a slide guitarra de George Harrison), não deu as caras.

A imprensa local foi unânime em afirmar que esta foi a mais animada edição do APR em anos. O sucesso conseguido com a escalação doméstica (a única exceção foi o escatológico Terrorgruppe) pode confirmar uma tendência, a de valorizar cada vez mais grupos nacionais. Gringos como Charlatans, Asian Dub Foundation, ou o redivivo The Mission (que veio ano passado) podem até ajudar a abrir mais espaço para o festival nos jornalões do Sudeste. No entanto, como não são sucesso no Brasil, não contribuem para aumentar o público do evento, e menos ainda para animar a festa - como Ira!, Nação Zumbi, Los Hermanos, Nando Reis, Rappa, e as bandas emergentes fizeram com tanta competência.


# postado por Chico : 16:33

This page is powered by Blogger. Isn't yours?