quinta-feira, abril 29, 2004

Hoje foi divulgada a programação do Mada 2004:

QUINTA-FEIRA 20/05
20:30 - PAROLE (RN)
21:00 - FUNK SAMBA SOUL ( RN)
21:30 - STAR 61 (PB )
22:00 - JANE FONDA (RN)
22:30 - PEIXE COCO ( RN)
23:00 - BUGS (RN)
23:30 - AGREGADOS FDR (RN)
00:10 - SEPULTURA (SP)
01:30 - O RAPPA ( RJ )

SEXTA-FEIRA 21/05
20:30 - MOONGANJA (RN)
21:00 - PANGAIO (RN)
21:30 - LADO 2 ESTEREO (PI)
22:00 - USKARAVELHO (RN)
22:30 - RAMIREZ (RJ)
23:00 - DUB DA LOCA (RN)
23:30 - LOS CANOS (BA)
00:00 - CHICO CORREIA (PB)
00:30 - LULU SANTOS (RJ)
02:00 - MARCELO D2 (RJ)

SÁBADO 22/05
20:30 - RAVANA(RJ)
21:00 - ALLFACE (RN)¿
21:30 - THE AUTOMATICS (RN)
22:00 - THE HONKERS (BA)
22:30 - CHINA (PE)
23:00 - GRAM (SP)
23:30 - LEELA (RJ)
00:00 - MAD DOGS (RN)
00:30 -THE WALKMEN (NY/USA)
02:00 - JORGE BEN JOR (RJ)

Inclusive estamos no mesmo dia do Lado2Stereo, grandes chapas... tem que rolar pancadão Lado2+E-Band!

O Lado2Stereo abandonou o thrash metal para dar vazão
a um monte de maluquices sonoras. Vem do Piauí
....................................................................................................................................

O milagre da mudança
por Andre Cananea(cananea@jpbonline.com.br)



Talvez o maior milagre da conversão tenha ocorrido há uns dois anos, no Piauí. O milagre foi transformar uma esporrenta banda de thrash metal num minimalista duo eletro-samba, que flutua entre o jazz e a bossa nova. Esse duo se chama Lado2Stereo, é conduzido por Josh S. e Torment (ou Julliano Lima) e é uma das grandes apostas para o Mada 2004. Os caras caíram nas graças do DJ Dolores, que produziu duas faixas do primeiro CD dos camaradas. O disco se chama “Samba torto e outros ritmos”, ou “o álbum amarelo”, como foi apelidado. É no embalo desse CD que a dupla desembarca em Natal este mês.

Mas o mais curioso é que o disco tem pouco a ver com o show. Ou até tem, sei lá. Cada show dos caras é algo totalmente (ou quase totalmente) novo e diferente. Em Olinda (PE), na semana passada, a dupla fez um show visceral, com guitarras enfurecidas que lembravam os tempos de Monasterium (a tal banda de thrash que deu origem ao duo). Totalmente animal. Quem estava no palco, inclusive, era o paraibano ChicoCorrea.

Os piauienses e o paraibano, aliás, são meio que irmãos... o contato é estreito. Tanto que na semana que antecede ao Mada, Josh e Julliano deverão dar uma passada em João Pessoa (PB). Em janeiro, a dupla do Piauí esteve se apresentando num festival local e arrancou elogios.

Na média, o show do Lado2Stereo costuma ser mais vibrante do que o CD, tecnicamente bem feito, mas morno, sem energia. Ao vivo, os caras destilam um suingue contagiante. É tipo um Sonic Junior (de Alagoas), só que mais sofisticado.

Vale a pena ficar de olho...


» Encontrei o ChicoCorrea no dia em que o LABORATÓRIO POP anunciou as atrações do Mada deste ano. E o ChicoCorrea & Electronic Band será uma das atrações. O músico paraibano já adiantou que o show que irá levar este ano ao festival potiguar é bem diferente da apresentação que rolou no Mada do ano passado. É até mesmo um pouco diferente do que apresentou em novembro, no Tim Festival, no Rio.
Além do VJ – que já estava no Tim - rola um live P.A. no palco. Mas a grande novidade mesmo são as músicas inéditas que estarão no repertório. As músicas farão parte do CD de estréia do grupo, prometido para este ano. Atualmente, a rapaziada e a moça que canta estão em estúdio, gravando as composições.


terça-feira, abril 27, 2004

tcharam!

primeiras imagens das novas cores das fantásticas camisas da ChicoCorrea & ElectronicBand!



agora também com modelo baby-look!

ligue djá! com qualquer integrante da banda ou na música urbana (em algum lugar mais que eu não sei?)!!

segunda-feira, abril 26, 2004

Chamada sobre a ElectronicBand e o Star 61 na capa do Jornal da Paraíba ontem!

A Paraíba está no Mada


Chico Corrêa e Star 61 serão os representantes do Estado no festival potiguar



por André Cananéa

A aguardada relação de bandas que irão compor a versão 2004 do Mada finalmente foi divulgada neste final de semana. Até o fechamento desta edição, 19 bandas independentes haviam sido listadas, e mais duas estavam para entrar na lista, uma de Natal e, provavelmente, uma de Portugal. Para este ano, o festival vem recheado de novidades, entre elas a mudança, no Centro de Natal para a orla marítima, e a presença de uma banda internacional em vias de explodir para todo o mundo. Como acontece todo ano, o festival incluiu duas atrações da Paraíba: Chico Corrêa & Ele-tronic Band e Star 61.

O festival acontece nos dias 20, 21 e 22 de maio, desta vez no espaço Costeira Palace (Via Costeira) em Natal (RN). Segundo o produtor Jomardo Jomas, uma área dez vezes maior que o antigo endereço do Mada, na Rua Chile. Ele justifica a mundança afirmando que o festival cresceu, tanto em estrutura quanto em público. “Lá na Via Costeira, cabem umas 20 mil pessoas”, diz.

Entre os headlines, ou grandes atrações, foram divulgados os seguintes nomes: Sepultura e O Rappa fecham a noite do primeiro dia de festival, que terá ainda sete bandas da cena independente brasileira (ver nomes no quadro ao lado). Na segunda noite, Mar-celo D2, Lulu Santos e mais sete bandas. No sábado, irão se apresentar mais sete bandas, além de Jorge Ben Jor e uma grande atração internacional: a banda nova-iorquina The Walkmen (ver texto abaixo).

MOR-MARÇO

Algumas escalações para o Mada são fruto da vinda de Jomardo ao Mor-Março, que aconteceu no mês passado, no estacionamento do Manaíra Shopping. A performance de palco e a atitude surpreendente da banda Star 61 no festival pessoense rendeu ao grupo o convite para o Mada. “É uma banda com uma ótima presença de palco”, elogiou Jomardo, que estava na platéia do show. Os baianos Los Canos e The Honkers também foram atração no Mor-Março e foi lá que Jomardo tomou conhecimento das bandas.

O Chico Corrêa & Eletronic Band se apresenta no festival pela segunda vez. No ano passado, a banda foi uma das atrações do último dia do festival. A partir daí, seguiram em uma promissora série de shows que culminou com a apresentação do badalado Tim Festival, em agosto. Jomardo estava na platéia dos que viram o show do grupo paraibano e notou a evolução e o destaque que a banda recebeu junto à mídia e o público carioca. Isso o levou a convidar a banda para um bis este ano.

Outra novidade para este ano é uma tenda eletro (batizada como Circo Eletrônico), que irá abrigar DJs locais e convidados, entre eles os badalados Patife e Xerxes.

CINEMA

Como no ano passado, o Mada volta a apostar no cinema, abrigando um festival paralelo e mais duas mostras: dias 10 e 11 de maio rola o "Mix Brasil - Festival da Diversidade Sexual". Dias 12 e 13, o "AnimaMundi - Festival Itinerante de Animação", finalizando com o festival “Curta Natal no Mada", dias 14 e 15. Todas as mostras acontecem no Espaço Cultural Casa da Ribeira.

* The Walkmen abre os shows dos Strokes

A maior prova de que o Mada está crescendo não é só a mudança para um local maior, mas a vinda de uma banda internacional exclusivamente para o festival. E a banda não é uma qualquer. Trata-se do The Walkmen, quinteto de Nova York que está na iminência de ser a próxima-grande-coisa do rock alternativo.

O grupo, que faz uma mistura de Joy Division, Jesus & Mary Chain e U2, vem ganhando destaque na mídia e college radios e o clipe da música “The rat” está em oitavo lugar na MTV inglesa.

Recentemente, o grupo assinou um contrato com um selo do grupo Warner para lançar o segundo CD (Bows and arrows) e vem abrindo os shows dos Strokes na América do Norte.

Para o show que irá fazer no Mada, o grupo fez uma exigência curiosa: solicitou que todo o equipamento de palco fosse originalmente dos anos 60, incluindo amplificadores e bateria. Promete. (AC)

domingo, abril 25, 2004

Do Jornal O Norte, matéria sobre nosso amigo, colaborador e monstro mór:

Aquarela Corrosiva


Shiko expõe Aquarela Que Passarinho Não Bebe, simultaneamente em três locais, a partir desta sexta-feira




ADRIANA CRISANTO
Repórter
adriana@jorrnalonorte.com.br

O artista plástico e quadrinista Shiko, inaugura, simultaneamente, nesta sexta, 23, na loja de discos Música Urbana (Visconde Pelotas - centro), Comic House (Esquina 200 - Tambaú) e Design Tatoo (Duque de Caxias - centro) a exposição inédita "Aquarela que passarinho não bebe". O vernissage acontece na Música Urbana a partir das 17h38, com um pocket-show do grupo Chico Correa & Eletronic Band e discotecagem do DJ Charles Darling. A mostra, com entrada franca, fica no local de segunda a sexta, das 9h às 18h, e sábado, das 9h às 14h. E de segunda a sábado, das 9h às 21h, na Comic House e Design Tattoo até o dia 22 de maio.

Nesta exposição estão reunidos 18 desenhos em aquarela, nanquim e acrílico, todos em papel, com tamanhos que variam de 30 X 40 cm e 1,20 X 80 cm. "Essa é a primeira vez que exponho desenhos", contou Shiko que também trabalha com grafitagem artística. A escolha dos lugares para esta exposição ao mesmo tempo em que tem haver com o próprio universo do artista é a oportunidade de expor obras de arte em lugares completamente inusitados, fora das galerias de arte, e abrir espaços para as artes em ambientes comerciais.

Os trabalhos de Shiko têm uma relação muito próxima com o cinema, música, literatura, artes plásticas e os quadrinhos. Os desenhos mostram ainda, na sua concepção, toda urbanidade característica de sua vida, sem formalidades. Considerando as características individuais do artista e o contexto de sua produção os desenhos são também parte do espelho de uma tribo, que mesmo indo de encontro aos conceitos formados, consegue penetrar com força e mostrar aspectos culturais de uma sociedade que algumas pessoas chamam de "alienada".

As telas não possuem títulos, mas tem um outro aspecto importante: um argumento para composição, uma dificuldade sentida nos trabalhos de outros artistas quando têm uma boa idéia e não sabem transpor para o papel do princípio ao fim o que querem dizer. Para alcançar matizes coloridas diferentes nas telas as tintas são diluídas em água, por isso o título "Água que passarinho não bebe", que segundo Shiko, foi sugerido pelo amigo Bruno Sales.

Francisco José Souto Leite, mais conhecido por Shiko, é natural de Patos (PB) ou "Ducks", como americanizaram seus colegas, mas reside em João Pessoa há mais de sete anos. O apelido "Shiko" (com S, H e K), surgiu quando trabalhava numa agência publicitária, em Brasília, onde existiam três pessoas com o mesmo nome. "Para ser radical e diferente eu troquei todas as letras da forma correta e acabou pegando", revelou. Pouco tempo depois acabou descobrindo que o nome é de origem japonesa e também se refere ao nome da postura de uma arte marcial, o Kung Fu, que segundo ele significa "a área de alcance da lâmina de um samurai".

Shiko fez escola no Marginal Zine, publicação alternativa, quando ainda residia em Patos. Em 1997, fixou residência em João Pessoa e começou a pintar em acrílico sobre tela. Paralelo ao trabalho com as telas se dedicou ao universo dos quadrinhos, aonde vem produzindo a novela gráfica "Blue Note", baseado no texto de um amigo (Biu). "Inicialmente iria ter 80 páginas. Quando tinha 50 eu achei que com mais 30 terminaria. Hoje ela esta com 100 e ainda esta faltando 30 páginas para terminar", confidenciou.

O texto, conforme o quadrinista, não tinha situações bem definidas e os personagens não possuíam nomes, tudo se resumia a diálogos. "A partir daí comecei a dar cara aos personagens", disse. A novela se constitui em várias histórias curtas que vão se entrelaçando. Boa parte dos episódios acontece num bar, em que um trio de músicos de jazz formado por um robô que toca trompete, um sapo que toca piano, um negão que toca baixo, além de uma boneca inflável que começa fazendo streep e depois é incorporada ao grupo.

Quem acompanha de perto o trabalho de Shiko sabe que seu quadrinho pouco está ligado às tiras de humor, sempre foi centrado na área de ficção científica e adaptação de contos, como de Augusto dos Anjos, Moacyr Scliar e Eduardo Galiano. Ele disse que recentemente se descobriu produzindo alguns desenhos com humor. "Não como trabalho autoral", contou. Infelizmente o trabalho de Shiko nunca foi encartado em livro ou catalogado. Parte de seus quadrinhos e desenhos estão publicados em produções alternativas do Estado e do Sul do país. A intenção, segundo ele, é fazer com que o álbum com a novela "Blue Note" possa ser negociada com alguma editora.

sábado, abril 24, 2004

do site MTV brasil

Mada terá The Walkmen e figurões da MPB



Por Daniel Setti

22.04.04


"Ei, que tal irmos pra Natal?"
Está agendada para o período de 20 a 22 de maio a nova edição do festival Mada – Música e Alimento Para a Alma –, que desde 1998 contribui para a fixação da cidade de Natal no mapa pop brasileiro. O evento vem com uma empolgante novidade em 2004: pela primeira vez, contará com uma atração internacional. Trata-se do grupo The Walkmen que, juntamente com bandas como Strokes (de quem vai abrir shows no mês que vem) e Interpol, fez a cena rock nova-iorquina voltar a ser a mais efervescente da atualidade.

Outras atrações do festival também foram anunciadas esta semana. Serão 21 artistas independentes, incluindo nomes de destaque como o pernambucano China (ex-Sheik Tosado), os paulistanos do Gram e os paraibanos da Chico Correa Eletronica Band, além de figurões do primeiro time do pop brazuca e da MPB: Sepultura, O Rappa, Marcelo D2, Jorge Benjor, Lulu Santos, DJ Patife e Xerxes.

O evento, que ocorre na Costeira Palace, será precedido por uma mostra de cinema. Maiores detalhes disponíveis em breve no site www.festivalmada.com.br.

quarta-feira, abril 21, 2004


stephan no samba

Stephan+Naza+Burgo


grande Shiko - Estaremos fazendo um som na Loja Música Urbana, trilha sonora pra exposição do nosso amigo designer Shiko. A partir das 18:00 hrs. Inclusos no pocket jam session show, estaremos levando sam do sax e didier guigue, dupla francesa de músicos amigos.
Por enquanto eh soh.
Familia Correa tb eh cultura!!!

ta dando choque???

sexta-feira, abril 16, 2004

Naza, vamos arrumar os links de videos no menu aqui do lado.
Pra completar a série "E-band em Salvador", Carlos me mandou mais dois vídeos da nossa viagem: Afrotech IV(63mb) e Zabé(75mb), do show que fizemos no galpão Cheio de Assunto. Esses dá pra ver com o Windows Media Player mesmo.

quinta-feira, abril 15, 2004

Carlos Dowling me mandou o vídeo de um making of da viagem da E-band a Salvador. Destaque para a performance de chicocorrea no hotel, óbvio :)

Pra ver o vídeo, você provavelmente vai precisar do Quicktime player.
Pessoal, coloquei no ar os 3 filmes que Elizeu e Luciana tiraram de fotos nossas: aqui, aqui e aqui. Não selecionei nada, então tem umas bem parecidas. Mas tem também um monte bem legais :) Valeu, elizeu e luciana!

Temos que escolher, dessas algumas pra usar como divulgação... alguém tem sugestões?

ps.: Pode ser que de vez em quando os links fiquem sem funcionar, a universidade tá saindo do ar direto, mas não demora muito, volta.

ps2.: Banda: vão no fotolog de Elizeu e deixem um comentário lá, como agradecimento, que ele vai ficar feliz, hehehe

quinta-feira, abril 08, 2004

O Norte OnLine

Terça, 30 de Março de 2004 às 13h06

Banda paraibana faz sucesso em Salvador


Da Redação


Com o apoio da Fundação Espaço Cultural, a banda Chico Correa e Eletronic Band foi a atração principal da festa de encerramento do III Panorama Internacional – Coisa de Cinema, realizado no último dia 20, em Salvador.

Ao retornar da viagem, Carlos Dowling, como representante do grupo, endereçou correspondência à vice-presidente da Funesc, Glauce Cunha Lima, apresentando um relatório da viagem e ao mesmo tempo agradecendo pelo apoio da Fundação, na concessão de passagens aéreas.

Dowling informou ainda que o show foi realizado para um público de 500 pessoas, o que significou o limite da lotação da casa de espetáculos. Ele anexou ainda recortes do noticiário, que foi repercutido em jornais e sites de Salvador.





terça-feira, abril 06, 2004

Paraíba, terça-feira, 6 de abril de 2004

Cineastas e admiradores da sétima arte idealizam cineclube


DA REDAÇÃO
O público campinense lotou o teatro do Sesc no último sábado, para assistir às películas A Sintomática Narrativa de Constantino e GOD.O.TV, ambas do cineasta Carlos Dowling, que também proporcionou um animado debate sobre a atual cinematografia paraibana – os problemas e as conquistas de quem se dedica à sétima arte num Estado que ainda não dispõe dos meios de incentivo necessários. Também vindo de João Pessoa, o promissor diretor Bruno Sales apresentou as filmagens que fez, numa linguagem que lembrou os videoclipes, dos bastidores da Sintomática Narrativa.

Os dois cineastas vieram representando a Associação Brasi-leira de Documentaristas – ABD, seção Paraíba, a qual pretende ampliar suas atividades para a Serra da Borborema, com apoio do Sesc Centro, que sediará as reuniões e promoverá mostras de cinema paraibano e mundial a partir do mês de maio. “A idéia é a criação de um cineclube Sesc, que apresentará ao público verdadeiras homenagens aos diretores de cinema, através de suas obras completas, bem como palestras com especialistas na área. Queremos preencher uma lacuna, desde que o projeto Vídeo 18 Horas, do Museu de Arte Assis Chateaubriand, chegou ao fim, deixando a cidade órfã de exibição de filmes de arte”, explica Vinícius Bezerra, do departamento de comunicação do Sesc. O diretor teatral Álvaro Fernandes também endossa a idéia, lembrando que o Sesc Centro dispõe atualmente do teatro com as instalações mais modernas de Campina Grande. (AS)

domingo, abril 04, 2004

Senhoras e senhores: estamos quase lá! Consegui fazer funcionar um protótipo da tv chicocorrea! Por enquanto, o único programa é o vídeo de mangangá, mas em breve... :)

Pra ver o vídeo, você precisa ter instalado o RealOne Player.

ah... se alguém tiver um tempinho, eu queria saber se esse outro link também funciona, por favor...

sexta-feira, abril 02, 2004

"Cineastas promovem encontro em Campina


ANDRÉ DE SENA
A Associação Brasileira de Documentaristas – ABD, seção Paraíba, atualmente atuando unicamente em João Pessoa, estará promovendo amanhã um encontro com realizadores e admiradores da sétima arte em Campina Grande, propondo a ampliação das atividades da associação para a cidade vizinha. O encontro acontecerá no Sesc Centro, logo após a exibição, às 15 horas, do curta-metragem em 16mm GOD.O.TV, dirigido e roteirizado por Carlos Dowling.

GOD.O.TV foi filmado em 2002 e é resultado de uma iniciativa do Festival Brasileiro de Cinema Universitário (Niterói/ RJ), que agregou uma equipe de alunos das várias escolas e cursos de cinema de todo o País. O filme é uma livre adaptação de uma peça de Samuel Beckett e traz no elenco Drika Soares, Everaldo Pontes, Ieda Dantas, Ricardo Brandão, Sílvia Aderne, entre outros.

Além do realizador, estará presente na sessão Bruno Sales, secretário geral da ABD/PB, para incitar um debate em torno da implementação do órgão em Campina Grande e sobre os mecanismos de produção independente. A ABD/PB está completando 22 anos de atividades, propondo um ponto de convergência entre os cineastas paraibanos e o grande público, promovendo mostras e seminários.

“A ampliação das atividades da ABD para Campina Grande representará a instalação de um importante mecanismo de intercâmbio entre os realizadores locais, fundamental para discutir e entender o fazer audiovisual no Estado”, explica a cineasta paraibana Ana Bárbara, que também participará do evento."

quinta-feira, abril 01, 2004


A ElectronicBand no Fenart 2003.
Foto de Emerson Malungo
Jornal o Norte
João Pessoa quinta-feira, 1 de Abril de 2004

Músicas radicais

Didier Guigue, francês radicado na Paraíba, coordena recital e faz homenagem ao minimalista John Cage

Músicas Radicais do Século XX" é o título do evento coordenado pelo professor e compositor Didier Guigue e executado pelos alunos concluintes do bacharelado em música do Departamento de Música da Universidade Federal da Paraíba (Demús/UFPB). A apresentação esta prevista para começar às 21h00, no Cine Bangüê do Espaço Cultural José Lins do Rego, com entrada aberta ao público.

No concerto estão incluídas composições do italiano Luciano Bário, falecido ano passado, Jorge Antunes, dos norte-americanos Steve Reiche, Terry Riley (idealizadores do movimento minimalistas), além de uma criação coletiva do filosofo e compositor John Cage. Esta é a segunda vez que o projeto acontece. A intenção, segundo Didier Guigue, é que o projeto seja realizado pelo menos uma vez no ano. "Ele depende muito do interesse dos alunos", comentou. O concerto terá duração de 1h10 minutos.

De acordo com Didier, o objetivo desde o início é socializar, tocar e mostrar para o público obras de compositores importantes de décadas passadas. Para este concerto os alunos prepararam performances das seguintes obras: "Homenagem a John Cage", com a turma da disciplina de Estética VI; "Brim" e "Três Duetti perdue Violini Béia, Valério e Igor", do compositor Luciano Bério; "Redundantie II" e "Inutilenfa", de Jorge Antunes; "Music for Pieces of Wood", de Steve Reich e finalizando a apresentação, "In C", de Terry Riley. "Pensamos em levar este evento a outros lugares, gravar um vídeo digital e um CD", disse.

Segundo o professor, o interesse das pessoas pelas produções eletrônicas tem aumentado nos últimos anos, mas a falta de equipamentos em sala de aula tem impossibilitado que ela cresça, principalmente em João Pessoa. "Quem tem sorte e possui um bom computador em casa ainda consegue fazer boas produções", comentou. Ele diz ainda que a UFPB dispõe de professores para ensinar a teoria, para pesquisar, mas, infelizmente ainda não possui estrutura física.

Em João Pessoa, algumas pessoas se reúnem para estudar e criar composições eletrônicas. Muitos ainda vivem nos guetos divulgando sua produção para um grupo fechado de pessoas. Um dos poucos que tem conseguido projeção é o Chico Correa Eltronic Band que tem a frente o disciplinado músico Esmeraldo Marques, uma das crias de Didier Guigue.

Outras comunidades eletrônicas estão espalhadas pelo país uma delas é o Pragatecno, composta por músicos do nordeste interessados na produção de e-music e ainda o 2 Mekanik - E-Projekt Made in João Pessoa, que dispõe de uma página na internet sobre música eletrônica, com matérias, playlists, novidades, uma breve história e explicação sobre cada estilo eletrônico, fotos, flyers psicodélicos e entre outras dicas.

Para quem não conhece Didier Guigue é natural da França, mas reside em João Pessoa desde 1982. É doutor em Musicologia do século XX pela Ecole des Hautes em Sciences Sociales-Paris-França. Possui Pós Graduação em Estética, Ciência & Tecnologia das Artes pela Universidade de Paris. É professor adjunto da UFPB, onde leciona Estética da Música do Século XX e Computação aplicada à Música. Didier é também pesquisador e consultor no CNPq, em que coordena um grupo interdisciplinar de pesquisas integrando computação e análise da música do século XX.

O compositor privilegia os gêneros envolvendo o eletrônico e o computador, tanto na vertente erudita, quanto popular. Escreve também música instrumental, na qual afloram referências afro-brasileiras. Tem colaborado com vários músicos e grupos paraibanos, como Pedro Osmar, Tribo Ethnos e Quinteto da Paraíba.

Tem obras eletrônicas publicadas em CD's especializados na Inglaterra e nos Estados Unidos. Em 1999, lançou no Brasil, pelo selo CPC-UMES, um CD intitulado Vox Victimae, reunindo a sua mais recente criação entre pop/rock progressivo e música algorítmica

This page is powered by Blogger. Isn't yours?